segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Uma Pistola Para Ringo...


Giuliano Gemma  nasceu em Roma em 2 de setembro de 1938. Passou boa parte da sua infância e adolescência numa cidade do interior da Itália, chamada Réggio Emília.
Aos 12 anos, enquanto corria com seus amigos pelos campos da área rural, encontrou uma granada aparentemente desativada. Ignorando o perigo da mesma, começou a brincar. Em questão de minutos, a granada explodiu em suas mãos. Do acidente, o ator leva até hoje uma pequena cicatriz no lado esquerdo do rosto.
Nessa mesma época, começou a freqüentar a academia de ginástica, onde se dedicou exclusivamente à ginástica rítmica, acrobacia, boxe e natação. Seu bom desenvolvimento físico o levou para o circo, onde trabalhou como trapezista.
Além do esporte, sua segunda paixão era o cinema, e tinha como ídolo, Burt Lancaster. Sem dúvida, foi o excelente porte atlético que lhe possibilitou aos 20 anos, ingressar na carreira cinematográfica, atuando em pequenas pontas de filmes épicos, geralmente estrelados por Steve Reeves.
Em  "Ben-Hur" (1959) apareceu interpretando um soldado romano. Era 1961, quando ganhou seu primeiro papel de destaque numa aventura épica intitulada: "Os Titãs".
Já em 1962 sob direção de Luchino Visconti, trabalhou em "O Leopardo", contracenando com Burt Lancaster, Cláudia Cardinale e Alain Delon.
Logo foi despertando a atenção do público ao aparecer em dois filmes capa-espada:
"Angélica a marquesa dos anjos" e "Angélica e o rei" (1964-65).
Mas, foi graças ao produtor Sérgio Leone, que ao produzir o faroeste"Por um punhado de dólares" (1964), o cinema italiano despertou para os filmes  de bang-bang, cujo sucesso duraria por quinze longos anos.


"Uma pistola para Ringo" (1965) foi o filme que lançou Giuliano Gemma como cowboy do faroeste. Nesse ano, o ator conheceu Natália Roberti , com quem se casou e teve duas filhas: Giuliana e Vera. O csamento durou até 1995, quando sua esposa veio a falecer. Os filmes de Ringoconquistaram a todos e o ponto máximo do sucesso foi "O Dólar Furado". Excelente western com uma bonita trilha sonora composta por Ênio Morricone.
Nos cinemas do interior o público aguardava ansioso pelas sessões de finais de semana, para ver o Ringo se defrontar contra o vilão mexicano, interpretado por Fernando Sancho. Pois se o filme tinha Giuliano Gemma, o sucesso era garantido.
Enquanto os faroestes italianos eram rodados na cidade espanhola de Almería, os produtores se preocupavam com os nomes dos seus atores. Supunham que o público acostumado ao western norte-americano, não receberia bem os novos mocinhos.
Em alguns filmes, em vez de Giuliano Gemma, o nome que apareceu foi Montgomery Wood. Porém, o sucesso foi tão grande, que rapidinho passaram a atuar com seus nomes verdadeiros. Dos faroestes, Giuliano Gemma passou a atuar em filmes policiais, guerra e comédias tais como: "África Express" e "Safari Express" (1974-76) ao lado de Úrsula Andress.
Um dos últimos westerns em que atuou, foi "Tex e o senhor do abismo" (1985).

Aos 74 anos, continua atuando no cinema, na televisão italiana e tem se dedicado muito a escultura em bronze.
No Japão, onde também é muito conhecido, foi contratado pela Suzuki, para o lança-mento de dois modelos de motocicletas: Gemma 50 e Gemma 125. Atualmente está casado com a jornalista Babi Richerme e vive nos arredores de Roma.
Um ator carismático, cujo talento o tornou inesquecível. 

Fontes:
Trechos retirados do livro em espanhol "Giuliano Gemma, el factor romano" (Carlos Aguilar, 2003), enviados ao Portal TEXBR pelo fã José Francisco de Souza.
Tem mais Giuliano Gemma AQUI

2 comentários:

  1. Prof. Cunha e Silva23 de janeiro de 2012 13:18

    São gloriosas suas ações artísticas voltadas para o cinema e a literatura. Você presta um grande serviço com isso. Mantenha seu trabalho neste nível de grande utilidade cultural e de resgates da sétima arte, da literatura e artes em geral.
    Forte abraço do

    Cunha e Silva Filho

    ResponderExcluir
  2. Se não me engano, Gemma foi o primeiro pseudo nome para faroestes italianos.
    Como sou muito pouco ligado a imitações, e o faroeste italiano é uma imitação FEIA do real faroeste, eu muitos poucos deles assisti.
    Mas eu vi O Dólar Furado. Para estreia não foi lá estes desastres todos. Vi também Minesotta Clay, com Cameron Mitchel, um dos filmes nascentes da nova cinematografia. Também foi assistivel, dado a ter um ator americano já com um curriculum bem arregimentado.
    Mas, afora isso, raramente assistia a um destes.
    jurandir_lima@bol.com.br

    ResponderExcluir