sexta-feira, 13 de maio de 2011

Os Brutos Também Amam...

De descendência ucraniana, Jack Palance nasceu Volodymir Ivanovich Palahniuk em 18 de fevereiro de 1919, na Pensilvânia rural de carvão. Seu pai, um mineiro, morreu da doença do pulmão preto. O rapaz, de sensibiliadde artística, trabalhou nas minas nos seus primeiros anos, mas evitou o mesmo destino de seu pai. Atletismo foi a sua passagem para fora das minas, quando ele ganhou uma bolsa de futebol para a Universidade da Carolina do Norte. Em seguida, saiu para tentar a sua sorte no boxe profissional. Embora ele certamente tivesse talento e registro de um bom boxeador, ele se decidiu por uma forma menos abusiva da vida. Depois de condecorados serviço na Segunda Guerra Mundial com a Força Aérea do Exército como um piloto de bombardeiro, ele retomou os estudos universitários como jornalista na Universidade de Stanford e tornou-se um jornalista esportivo do jornal San Francisco Chronicle. Ele também trabalhou para uma estação de rádio até perto de começar a carreira de ator.
CURIOSIDADES


Antes da carreira artística, Jack Palance foi lutador profissional de boxe, com muitos acreditando que sua face desfigurada se devesse aos golpes recebidos, mas na verdade a desfiguração foi causada por um acidente aéreoquando tomava aulas de pilotagem.
Nunca assistiu nenhum dos seus próprios filmes.
Frequentou a Universidade da Carolina do Norte. Falou seis idiomas: ucraniano, russo, italiano, espanhol, francês e Inglês.
Sua estrela na Calçada da Fama fica em frente da vitrine da loja  Fredericks, do ramo de roupas íntimas.
Durante o dia lutava, à noite trabalhou como cozinheiro, garçom e nas folgas como salva-vidas na praia e modelo fotográfico.
Certa vez, durante as filmagens de uma cena de luta com Burt Lancaster, Palance realmente deu um soco no desavisado Lancaster. O não menos truculento Lancaster respondeu com um golpe no intestino de Palance que o fez vomitar.
Por ocasião da entrega do Oscar de Melhor Ator Coadjuvante por Amigos, Sempre Amigos (1991) na 64 Annual Academy Awards (1992), o já velho Palance comentou sobre o porque dos diretores de elencos questionarem a capacidade física dos atores veteranos. Ali mesmo no palco, abaixou-se e fez várias flexões com apenas um braço. Levantou-se e ainda fez piadas sobre.
Foi pintor e poeta contumaz. Era vegetariano, mas manteve um rancho com um mil hectares de criação de gado no Tehachapi montanhas da Califórnia e uma fazenda de 500 acres no condado de Luzerne, na Pensilvânia.
Pai de Cody Palance (nascido em dezembro 1955, morto em 15 de julho de 1998), com quem atuou no filme Os Jovens Pistoleiros (1988).
Em um talk show transmitido nacionalmente pela TV, Palance abordou a repetida história sobre como ele supostamente teria feito tais danos em seu rosto com a cirurgia plástica que lhe deu a cara todos nós sabemos. Ele disse: "Eu sei que não sou a beleza, mas estas são as características da Estónia. Eu nasci assim".
Recusou o papel que foi de Telly Savalas em Os Doze Condenados (1967), porque acreditava que o filme tinha muita violência desnecessária.
Membro da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Sucursal Atores).
No final de 1930 e início dos anos 1940 Palance foi pugilista profissional na categoria peso pesado e lutava com o nome de Jack Brazzo. Depois de ganhar seu primeiro cinturão, Jack se alistou no Exército quando a Segunda Guerra Mundial estourou. Após a guerra ele virou ator e nunca mais retomou sua carreira de boxe.
Ele pronunciava seu sobrenome "PAL UNSE," não "pah-LAHNSE" como algumas pessoas acreditam.
Para os mais jovens, Palance se tornou conhecido no Brasil pela atração "Acredite Se Quiser!" (Ripley's Believe It or Not!"), que exibia casos bizarros nos anos 80, na extinta TV Manchete.
Fonte: IMDB

Um comentário:

  1. Euripedes Ribeiro de Sousa13 de maio de 2011 11:24

    Ficou interessante a sequência. Os dois mais bonitos e em seguida um dos mais feios.

    ResponderExcluir